terça-feira, 17 de abril de 2018

Caso de Amor imortalizado em Joia de Arte.



Monyke Mandelli Zabukas é a joalheira que deu "vida" a uma história de amor antiga.
Deu vida também ao prazer do pai em ofertar à filha querida uma lembrança física de uma viagem que os uniu de forma tão "mágica" e emocionante.
Um "simples" seixo, que se deixou moldar, numa forma tão perfeita, pela correnteza das águas. Águas de um local que foi o cenário de um grande e memorável (e doloroso) amor.

Linda história.
Lindo presente.
Linda joia.

Parabéns aos envolvidos.
Nos dá grande prazer e orgulho ver a Joalheria possibilitando emoções como essas.

Veja os detalhes desse processo:



Uma breve história do nascimento de uma joia.
A viagem a Portugal começou a ser planejada em setembro de 2016 após Lígia, minha filha, comentar sobre a história de Inês de Castro que a havia impressionado, e também sobre o Convento de Mafra descrito no livro Memorial do Convento de José Saramago, e assim foi que sua paixão pelas histórias me motivou a viajar com ela para os locais citados em tais contos. 
Lígia

É claro que pela motivação inicial o clima da viagem era de caça a história, e com esse objetivo esboçamos um roteiro que incluía o Mosteiro de Alcobaça, onde estavam, a tumba de Dom Pedro I e a tumba de D. Inês de Castro, o Convento de Mafra e a Fonte das Lágrimas em Coimbra além de tantos outros lugares. E assim em 24 de fevereiro após uma rápida passagem por Madri, desembarcávamos em Lisboa, e como sempre sentindo a emoção de estar nesse país, de tantas coisas comuns a nós! 
A partir daí todo o roteiro deu-se como o planejado, sempre com minha irmã e Lígia, ambas apaixonadas pela literatura portuguesa e pela história de Portugal, nos abastecendo com informações sobre os detalhes de cada um dos lugares, por onde passávamos, e suas respectivas histórias. 
Finalmente em 03 de março já em Coimbra, saímos logo de manhazinha do hotel em direção a Fonte das Lágrimas. Decidimos ir a pé, para aproveitar a manhã agradável que fazia, no trajeto passamos pelo Largo da Portagem e seguimos pela margem do Rio Mondego. Já próximo ao Parque das Lágrimas, subitamente Lígia parou e indicou um objeto em meio a vegetação da margem! Ao observar sua forma, imediatamente refleti sobre a história que aquele seixo devia carregar em si, ao ponto do seu rolar milenar por tantas águas tê-lo esculpido nessa forma tão perfeita! Decidi então transformá-lo em uma lembrança à Lígia, já que ela havia sido a motivadora da viagem. 
Seixo Bruto

Já no interior do Parque das Lágrimas onde a lenda diz que D. Inês de Castro se encontrava com Dom Pedro e onde fora assassinada a mando de Dom Afonso IV, a emoção que havia no ar nos envolveu a todos, e nesse clima tomei a decisão de banhar o seixo nas águas de ambas as fontes, a Fonte dos Amores e a Fonte das Lágrimas, para agregar também à sua história, a história deste “real” amor português, que talvez suplante a ficção de Romeu e Julieta em beleza e dor.
De volta para São Paulo, procurei a artista Monyke Mandelli Zabukas, que ao ver o seixo abriu um largo sorriso, e foi nesse momento que percebi que sua criatividade e seu toque mágico já começavam a transformar o seixo bruto na joia que se tornou.
Imagens da Joia: José Terra Nogueira
 São Paulo, 21 de março de 2018.
João Bosco Pellattiero de Oliveira

Nenhum comentário: