sábado, 2 de março de 2013

Prototipagem 3D.


imagem: reprodução online
 
Há alguns anos surgiram os primeiros comentários sobre uma tal prototipagem 3D.
Empresários arrojados trouxeram a tecnologia para o Brasil na década de 90 e, acredite quem quiser, não teve sucesso. "Houve grande resistência por parte dos empresários", conta Sergio Oberlander, sócio da Robtec. "As primeiras máquinas eram muito caras, hoje é possível comprar uma impressora 3D por R$ 5mil". Ele aponta como grande novidade do momento a impressora 3D colorida, vamos aguardar!!! e avisa que a Robtec cresce ano após ano.

imagem: reprodução online

A verdade é que a impressão 3D já não é apenas uma curiosidade, hoje ela caminha para tornar-se a grande força de uma nova fase da manufatura, conforme alerta Camilo Rocha em matéria para o jornal O Estado de São Paulo. Ele diz ainda que essa tecnologia não possibilita apenas novos jeitos de fabricar mas também novos jeitos de pensar na fabricação. Isso é fantástico, a possibilidade de estudar o processo de construção de forma materializada e não apenas com projetos 2D no papel ou na tela. Essa abordagem também é feita no livro Makers: The New Industrial Revolution ("Realizadores: a nova revolução industrial") do jornalista Chris Anderson. O autor afirma que a fábrica está mudando e que grandes novidades ainda estão por vir.

imagem: reprodução online

Peças feitas com a caneta 3Doodle - reprodução online

Exemplo disso é novíssima caneta 3D, a 3Doodle, desenvolvida pelo estúdio Artisan Asylum, de Boston. Ela funciona da mesma forma que uma impressora 3D e possibilita a criação de objetos.

Com o passar do tempo podemos perceber que uma das grandes vantagens da impressão 3D está na possibilidade que ela oferece aos pequenos fabricantes. "Dar poder ao ser humano comum de materializar qualquer ideia" resume o blog do projeto Metamáquina, de Felipe Moura, Felipe Sanches e Rodrigo Rodrigues da Silva.

Biquini da grife Continuum Fashion das designers Jenna Fizel e Mary Huang
imagem: reprodução online
 


O trio de empreendedores fala sobre alguns pedidos que chamaram mais atenção: Um casal que queria um modelo do filho, que ainda está na barriga da mãe, produzido a partir de uma ultrassonografia 3D. Num outro caso uma estilista com uma coleção de biquinis de plásticos, todos pela impressão 3D. Um médico solicitando a  impressão de um modelo da aorta de um paciente para visualizar, e possivelmente tocar, um detalhe da anatomia do paciente. Numa posterior cirurgia muitos riscos podem ser eliminados e o sucesso alcançado com maior facilidade. Dá para ter ideia de onde a impressão 3D pode ir??? das vantagens que ela nos oferece??

imagem: reprodução online
Hoje é possível produzir uma peça exclusiva a um custo relativamente baixo. A estilista de sapatos Andreia Chaves que o diga. Ela mora em Milão e sentiu no estilo clássico e mais tradicional do país, um impecilho para liberar sua criatividade, a solução veio com a impressão 3D com a qual Andreia produz suas criações com uma grande vantagem na Moda: a exclusividade. Seus sapatos, Invisible Shoes, têm estrutura de nylon e acrílico espelhado, produzidos com impressora 3D. A estilista comenta "a impressão 3D pode representar a volta de uma abordagem artesanal. É algo totalmente oposto ao mercado de massa, que não é mais sustentável."
Sapatos da estilista Andreia Chaves - reprodução online
 


Qualquer pessoa pode utilizar modelos 3D já prontos, de brinquedos, capas de celular, objetos decorativos, utensílios de cozinha entre outros, basta acessar o site Designoteca ou o Thingiverse.

reprodução online

A gente, a "turma da joalheria", também tem aproveitado a impressão 3D na criação de peças muito bonitas e ousadas.

Peça de Vivianne Vilela - reprodução online
 
Trama maleável de ouro da Cookson Precious Metals - reprodução online


Fonte: jornal "O Estado de São Paulo"

Nenhum comentário: